Quem sou eu

Minha foto
Jornal de Saude jornal informativo a servico da sociedade em geral

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Como cuidar corretamente de piscinas aquecidas e prevenir possíveis doenças



Por Fábio Forlenza, especialista da hth e mais conhecido como Professor Piscina

Você sabe para que serve o cloro na piscina? Bom, mesmo que você não entenda sobre cloro, mas tenha piscina em casa ou faça aula de natação, use a piscina de condomínios, hotel ou clube, sabe que ele é importante para o bom tratamento da água. Há uma série de doenças que podem ser transmitidas pelo uso de piscinas que não tenham recebido tratamento adequado da água. O tratamento inadequado permite a disseminação de bactérias e fungos, por isso, a utilização de cloro é indispensável para eliminar estes microrganismos patogênicos. Ou seja, é de extrema importância saber sobre o tratamento, já que o não cuidado pode acarretar em doenças de pele, respiratórias, hepatite, infecções e outros diversos problemas, como micose, foliculite, tricomoníase e diarreia.

Durante as estações mais frias do ano, como o Outono e o Inverno, as piscinas aquecidas passam a ser a preferência de quem deseja praticar esportes como natação ou hidroginástica, ou até mesmo ter momentos de diversão. O que muitos não sabem é que há uma diferença no tratamento deste tipo de piscina, já que há algumas questões a serem levadas em consideração, como: decomposição mais rápida do cloro, devido ao sistema de aquecimento; aumento na evaporação da água; aceleração no crescimento de micro-organismos e proliferação de algas; água aquecida tende aumentar o pH; e há formação de cloramina, o que causa a falsa sensação de excesso de cloro, cheiro forte e ardência nos olhos, quando na verdade significa a ausência de cloro na água.

Mas não basta que você limpe a piscina regularmente e jogue cloro na água. Se a água receber pouco cloro, não será suficiente para matar as bactérias e os fungos contidos na água. Dessa forma, quem usar a piscina ainda corre o risco de se contaminar. Vale ressaltar que o excesso de cloro também pode trazer danos à saúde dos usuários da piscina, causando alergias e irritações na pele. Portanto, a dosagem de cloro em piscinas aquecidas deve ser 10% maior do que pede na embalagem. Lembrando sempre que o produto deve estar devidamente registrado na ANVISA para ser utilizado em cada uma destas aplicações.

IMPORTANTE
* Somente a desinfecção com cloro pode garantir água saudável e sem riscos à saúde do usuário;
* O cloro é apresentado de diversas formas e cada uma delas tem suas características típicas de utilização, por isso, o primeiro passo é escolher que tipo que será usado. O cloro granulado garante a higienização segura da piscina. O hipoclorito de cálcio fabricado pela hth, líder brasileira e mundial em tratamento de piscina, é considerado o melhor cloro, pois contém o cálcio, elemento essencial para o equilíbrio químico da água, além de ajudar a água a ficar com mais brilho;
* Verifique se todos os equipamentos estão funcionando perfeitamente, como filtro, areia e bomba de água.

MANUTENÇÃO PASSO A PASSO
* Realize, uma vez por mês a medição da alcalinidade e uma vez por semana a medição do pH da água da piscina. Com uma fita teste, deve-se conferir se o nível de alcalinidade está entre 80 a 120 ppm e se o pH está entre 7,0 e 7,4;
* Aplique o cloro dia sim dia não;
* Faça a oxidação de choque utilizando o cloro na proporção de 14 gramas para cada 1000 litros de água, pelo menos uma vez por mês;
* Faça a limpeza da borda da piscina usando uma esponja umedecida com o limpa bordas;
* Por se tratar de um ambiente úmido, as algas são bastante comuns em piscinas, e as responsáveis pelo aspecto esverdeado da água inclusive lodo nas paredes e no rejunte. Por isso, recomenda-se manter o nível de cloro residual livre na água entre 1 e  3 ppm e a alcalinidade e o pH dentro dos limites favoráveis;
* Aplique o Algicida de Manutenção e o Clarificante Maxfloc uma vez por semana.

SEGURANÇA
* Manter a casa de máquina trancada;
* Não armazene produtos químicos próximos a fontes de calor (moto-bomba, churrasqueira, aquecedores);
* Nunca misture produtos químicos em um único balde;
* Nunca coloque água em um balde que tenha produto químico. Sempre o contrário, primeiro a água no balde, depois o produto químico;
* Use máscara simples, luva e óculos;
* Quando houver crianças na piscina, pode deixar o motor ligado, porém feche o registro do bocal de aspiração, deixe somente o registro de ralo de fundo aberto, assim a circulação da água acontecerá somente pelo ralo de fundo, evitando acidentes no bocal de aspiração;
* O ralo de fundo deve ter uma proteção, chamada de ralo ante turbilhão, para evitar que o cabelo de uma criança fique preso. Este novo ralo é a recomendação da ABNT;
* Em condomínios também se recomenda que ao redor da piscina tenha uma cerca ou grade de proteção.

Fábio Forlenza é palestrante e especialista da hth, com mais de 24 anos de experiência no ramo de produtos químicos para piscina. Também é instrutor autorizado da NSPF-USA para ministrar cursos aos tratadores de piscina na América do Sul e membro da comissão de estudos da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
 Leia e sempre que possível deixe seu comentário. Obrigado Marcelo Editor e jornalista - MTb 16.539 SP/SP
Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página

Jornal de Saúde informa