Quem sou eu

Minha foto
Jornal de Saude jornal informativo a servico da sociedade em geral

quinta-feira, 1 de junho de 2017

A CRIMINALIDADE AUMENTO OU A IMPUNIDADE?

ARTIGO

Saíram estatísticas, que aumentou, principalmente em cidade pequenas do Brasil, e o principal motivo, DROGAS.
Ora, esse aumento está acompanhado com a falta de vontade ou nenhuma vontade jurídica de punir os narcotraficantes com prisões e aos usuários leves, tratamentos quer eles queiram ou não, não obrigatório, pela Lei, depois de três ou mais flagrantes de uso acima do limite, abandono de si, furtos para comprar a droga. Tudo isso é crime contra a vida, furto é crime contra a sociedade e outros.
É preciso, infelizmente dar razão a Darci Ribeiro, não construímos escolas suficientes, a verba foi desviada, roubada, então agora temos que construir presídios, clínicas de reabilitação urgentemente.
Quem ganha com a incerteza jurídica, traficantes de armas, fabricantes caseiros de armas, traficantes, grandes laboratórios internacionais que fornecem acetona e outros químicos para beneficiar a droga.
A sociedade perde em vidas, sossego e acima de tudo a perspectiva de futuro de seus entes queridos que lhe é tão cara.


Os programas televisivos e radiofônicos especializados em crime cresceu assustadoramente igual ao índice de assassinatos, roubos, estupros, de onde vem tantas armas brancas, facas e revólveres e sub metralhadoras caseiras, uma moda no Brasil, atualmente? O crime é combatido, mas os criminosos são colocados na rua pela Lei que lhes concede habeas corpus, muitas das vezes por não ter cadeia para eles. Colocam tornozeleiras, mas aqui é a terr ado jeitinho, e os presos, mais para tirar um "sarro" fazem tudo que faziam antes e com álibi da tornozeleira que aprendem a burlar até filmes norte americanos.

Os novos presídios precisas ser remodelados em tudo. Não basta segurança máxima, mesmo que estes sejam exceções. É preciso, como era antes, locais onde o detento entra e tenha condições de se arrepender do crime cometido e tentar e ter uma chance ao final da pena de voltar como cidadão digno, honesto e trabalhador que provavelmente era antes de cair em ciladas do crime e do dinheiro e vida fáceis.

Afora esse princípio a inércia do Judiciário brasileiro se faz presente e não pode sustentar que a sociedade brasileira que levanta cedo, trabalha e dorme cedo para perder a hora e o emprego fique nas mãos de tão poucos que drogados, bêbados e alucinados matam pelo puro prazer, pelo extinto de preservação, da não-delatação da vítima. Não é possível que o Judiciário se acovarde diante de tão poucos e na maioria das vezes "almas errantes" que não sabem dar valor a sua vida, nem sabem se estarão vivos noutro dia, e também não respeitam o direito de vida de outros pessoas.

É preciso enfrentar o problema, imediatamente, estatísticas são ótimas para redemostrar o que estamos vendo, tiroteios, corpos nas ruas e necrotérios cheios de cardáveres e policiais, também se tornando, assassinos, muitos para defender a própria vida. //Todos sabem que nos morros cariocas e nas favelas mais barra pesada, policial descoberto, é policial. Os bandidos possuem, leis, a Lei da Talião, a sociedade, possui leis que não são cumpridas.

Que venham então presídios que quando terminar essa onda de corrupção no país, narcotráfico se transformem em Escolas, Centros de Saúde, Hospitais ou Centros Culturais.

Leia e sempre que possível deixe seu comentário. Obrigado Marcelo Editor e jornalista - MTb 16.539 SP/SP
Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página

Jornal de Saúde informa