Quem sou eu

Minha foto
Jornal de Saude jornal informativo a servico da sociedade em geral

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Recordista mundial girolanda de torneio leiteiro, Quelinha, vence a edição 2017 da Megaleite


Recordista mundial girolanda de torneio leiteiro, Quelinha, vence a edição 2017 da Megaleite
Grande Campeã Geral e Vaca Adulta foram os títulos recebidos em Belo Horizonte (MG), no parque da Gameleira

A mais nova Grande Campeã Nacional Girolando é a meio sangue Quelinha Everett FIV 2B, com média de 100,140kg/leite. O título, conquistado durante a Megaleite 2017, vem na sequência de um recorde mundial obtido na Superleite em 2015.
Quelinha, que também venceu a categoria Geral Vaca Adulta, é filha de Everett, um dos touros de destaque da bateria Leite da CRI Genética e pertence aos criadores José Afonso Bicalho, da Fazenda Cachoeira 2B, e Alexandre Lopes Lacerda, da Fazenda Miraí. De acordo com o gerente de produto leite, Bruno Scarpa, o reprodutor EVERETT deixou muitas filhas grandes produtoras de leite para a pecuária brasileira e frisou a consistência genética. “Quando um cliente alcança um recorde como esse, ocorre a confirmação da qualidade do trabalho que prestamos. Nós já temos um filho da Quelinha que está presente na Megaleite , logo segue para o teste de progênie e em breve será um dos nossos touros presentes para comercialização CRI”.
“A Quelinha foi a recordista mundial em Pompeu (MG) 2015 e a partir daí fizemos uma parceria muito forte com a CRI Genética. Este ano ela se tornou a primeira meio sangue a passar os 100kg/leite na Megaleite. É uma vaca muito importante para nós em termos de genética, ela é filha de vaca 2B, ela é 2B, filha do touro Everett da CRI Genética, cruzamento que nós fizemos em busca de muito leite e é uma doadora hoje que produz tourinho Girolando ¾”, explica Adriano Bicalho.
Bruno Scarpa acrescenta ainda que a Megaleite foi excelente e refletiu a força que a pecuária tem no Brasil. “Mais uma vez a CRI, auxiliando, orientando e apoiando o produtor no direcionamento genético dos rebanhos, atinge números e premiações fabulosas. O balde e as pistas comprovam que a genética CRI traz ao produtor de leite genética superior e traz o que precisa para que o melhor possa ser alcançado. A Megaleite foi um evento dinâmico e vibrante, em que a marca CRI ficou muito em evidência. O nosso estande esteve sempre cheio de pessoas de decisão, onde fechamos diversos negócios e iniciamos outros. A temida ‘crise’ não afetou as negociações, era notório que existia um Brasil dentro da feira e outro fora”, completa.
Outras conquistas
Na categoria Campeã Novilha, também na Megaleite, a premiada foi a vaca Girolando Germina Jacey Havana, de propriedade de Bernardo de Araújo Jorge, da Fazenda Germina, de Apucarana (PR). Ele explica que essa é a terceira vez que conquista o torneio de novilha durante a Megaleite. “Nós trabalhamos com a genética CRI há mais de 25 anos e comprovadamente com ótimos resultados. A Havana é uma novilha 5/8, filha do JACEY, tem um pouco mais de 60 dias de parição e alcançou a média de 61,063kg/leite. É a terceira geração CRI Genética, a mãe dela é filha do Radiador, um touro Gir da bateria CRI e a bisavó do Sharky, touro holandês”, explica Bernardo.
Fotos para Download:

Divulgação CRI Genética
baixar em alta

Quelinha Everett FIV 2B
Divulgação CRI Genética
baixar em alta

Estande CRI Genética na Megaleite 2017
Divulgação CRI Genética
baixar em alta

Estande CRI Genética na Megaleite 2017
Divulgação CRI Genética
baixar em alta

Estande CRI Genética na Megaleite 2017
Divulgação CRI Genética
baixar em alta
 
Leia e sempre que possível deixe seu comentário. Obrigado Marcelo Editor e jornalista - MTb 16.539 SP/SP
Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página

Jornal de Saúde informa