Quem sou eu

Minha foto
Jornal de Saude jornal informativo a servico da sociedade em geral

quarta-feira, 27 de julho de 2016

O governo interino de Michel Temer quer mudar o trabalhismo e o SUS e diversas matérias são publicadas

Há atualmente no país algo em torno de certo mundancismo. Quem é contra, é velho e passadista, conservador. Isso ocorre em todos os setores, mas os mais visados são o trabalhismo e a saúde, que nunca chegaram ao ideal.

Desta feita, vamos comentar e apresentar um excelente matéria editado pela UOL sobre saúde, que traz por detrás a proposta veiculada pelo Ministério da Saúde e seu atual ministro de Plano de Saúde para os pobres para desafogar o SUS-Sistema Único de Saúde que gasta cerca de U$$ 500,00 para mais de U$$ 43 mil dólares dos USA, o Brasil perde até para a o Chile e Argentina que gastam em torno de U$$ 600,00 e ainda querem sangrar, querem mudar o SUS, ao invés de fazer com que ele funcione, principalmente para os mais pobres, aqueles que ganhar salário mínimo ou salário e meio.


A realidade no país que, achata, arrocha os salários, e ainda reclama que pagam outro salário para o governo de imposto, é o caminho para vigiar e oferecer a saúde que deveria ser preventiva, os médicos deveriam começar a ganhar por pessoas que eles mantém fora do Sistema, saudáveis e que cuidam bem de sua saúde, e não apenas da doença, esse modelo é o de guerra e premia os laboratórios com seus remédios que nem sempre curam e apenas promovem algum tempo de vida, duvidosa, pois se a pessoa não morre da doença diretamente morre de indecisão, sem dinheiro e pode deixar a família na miséria.

Hoje a judicialização da saúde, ou melhor, da doença é uma dura realidade no país, que cada vez aumenta mais e mais as sentenças, e nem sempre, são para pessoas de baixa renda e sim para pessoas de classe média e classe média alta que não estão dispostas ou não tem mais recursos para gastar com medicamentos.

Mudar o Sistema Único de Saúde, é como mudar a asa do avião em pleno vôo, ainda não se consolidou o Sistema, por falta de investimento por parte do governo federal, que através de Lei parou de investir 16% e também dos Estados e Municípios. Além disso, precisa de gerenciamento para dirigir para a saúde preventiva e não para a curativa. Devemos pensar em futuro próximo não construir hospitais, leitos e tantos medicamentos. Mas, em saneamento básico, prevenção de epidemias, gripes, turbeculoses, hepatites, doenças coranárias - que podem ser evitadas com nutrição de qualidade e sem agrotóxicos, outro grande problema que a saúde enfrenta os metais pesados dos agrotóxicos, são um dos maiores agravantes à saúde da sociedade em geral. O ar poluído é outro transmissor para a corrente sangüínea de metais pesados.

Enfim, o SUS-Sistema Único de Saúde, precisa se modernizar, a sociedade precisa pagar pelo ônus de não cuidar de sua saúde e o governo fazer a lição de casa. A pergunta que não cala, por qual motivo que o cidadão ou a comunidade não processa o governo pela falta de saneamento básico, possui esse direito. No entanto, isso não paga honorários para advogados e nem para associações e ONGs.

Leia mais sobre o SUS

http://www.uol/noticias/especiais/sus.htm#tematico-1

Leia e sempre que possível deixe seu comentário. Obrigado Marcelo Editor e jornalista - MTb 16.539 SP/SP
Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página

Jornal de Saúde informa