Quem sou eu

Minha foto
Jornal de Saude jornal informativo a servico da sociedade em geral

terça-feira, 11 de julho de 2017

Aplicadores que fazem prega subcutânea podem ajudar a reduzir a incidência de abcessos na vacinação


Vacinação de gado com "aparelho" ou revólver mais conhecido

Inovadores dispositivos para aplicar medicamentos desenvolvidos na Nova Zelândia e que estão sendo comercializados no Brasil ajudam a reduzir a reação vacinal nos animais
Abcessos causados por reações vacinais são uma preocupação que podem prejudicar a produtividade da atividade pecuária e essa questão ficou mais evidente após os recentes embargos dos EUA à carne bovina brasileira por essa razão. Erros no manejo, falta de higiene e o tipo de equipamento utilizado para aplicar vacinas e medicamentos contribuem para acentuar esse problema.

“Para a vacina contra febre aftosa, por exemplo, recomenda-se que a aplicação seja feita preferencialmente de forma subcutânea, por ser menos invasiva e com menos chances de reações indesejadas. Entretanto, quando isso não ocorre e a agulha ‘pica’ o músculo, o risco de dar reação é muito grande”, explica o médico veterinário Renato Rocha, gerente comercial da Simcro para a América Latina. A empresa da Nova Zelândia é líder mundial no fornecimento de dispositivos de aplicação de medicamentos para a indústria veterinária, que recentemente passou a atuar no varejo brasileiro comercializando um inovador portfólio de pistolas, vacinadoras, aplicadores e acessórios desenvolvidos para facilitar o trabalho no campo, proporcionando mais precisão e segurança na aplicação dos produtos veterinários.

Um desses produtos, em especial, pode ser um grande aliado na redução dos abcessos causados por reação vacinal. Trata-se da seringa Accurus, que possui uma ponteira, a qual faz a prega subcutânea para garantir uma correta aplicação do medicamento no local certo, minimizando eventuais riscos de reações locais que podem comprometer a carcaça dos animais. “A Accurus foi desenvolvida justamente para fazer a prega subcutânea, garantindo que a dose seja administrada corretamente na região subcutânea, sendo menos invasiva ao animal. Além disso, a ponteira protege a agulha, aumentando a sua vida útil e oferecendo mais segurança ao operador. Outro ponto importante é o benefício de carregamento automático, o qual, além de tornar mais ágil o manejo, não permite contaminação do produto que está dentro do frasco por não ser necessário perfurar com as agulhas para a recarga, como acontece durante o uso das pistolas convencionais. Desde o início deste do ano esse produto está disponível em mais de 260 pontos de venda do Brasil, tanto para 12 ml com fluxo contínuo e 6 ml com frasco acoplado para vacinas e endectocidas”, destaca o médico veterinário Luciano Lobo, gerente comercial da Simcro para a América Latina.
“O equipamento com essa característica, aliado à capacitação da equipe de aplicação, especialmente para que a vacina ou o medicamento sejam aplicados em um ângulo de 45 graus praticamente zeram a possibilidade de reação vacinal e, consequentemente, de causar abcesso nos animais”, complementa Renato Rocha.

Leia e sempre que possível deixe seu comentário. Obrigado Marcelo Editor e jornalista - MTb 16.539 SP/SP
Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página

Jornal de Saúde informa