Quem sou eu

Minha foto
Jornal de Saude jornal informativo a servico da sociedade em geral

terça-feira, 19 de abril de 2016

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial


A hipertensão é o mais importante fator de risco para o desenvolvimento das doenças cardíacas e vasculares no Brasil e no mundo. 25% a 30% dos adultos desse cenário apresentam elevação da pressão arterial, e estima-se que menos de 10% desse imenso universo de pessoas em risco esteja em tratamento correto e contínuo.

No Brasil, onde há mais de 30 milhões de hipertensos, a primeira causa de morte é o acidente vascular cerebral (AVC), seguida do infarto do miocárdio (IM), doenças cuja principal causa é a hipertensão não controlada.
Embora outros fatores de risco – como tabagismo, colesterol elevado, diabetes, obesidade, estresse e sedentarismo – sejam também importantes causas das doenças cardiovasculares, a hipertensão destaca-se entre todos.

E, sendo uma doença assintomática, a hipertensão arterial pode ter como primeira manifestação um infarto do miocárdio ou um acidente vascular cerebral. E é aí que mora o perigo.
Hipertensão arterial acontece quando a nossa pressão está acima do limite considerado normal, que, na média, é máxima em 120 e mínima em 80 (popularmente dito 12 por 8). Valores inferiores a 140 por 90 podem ser considerados normais a critério médico. As pessoas que têm familiares hipertensos, que não têm hábitos alimentares saudáveis, ingerem muito sal, estão acima do peso, exageram no consumo de álcool ou são diabéticos, têm mais risco de desenvolver a hipertensão.

Para o Dr. Celso Amodeo, médico cardiologista e nefrologista especialista em hipertensão arterial, temos um problema de saúde pública no Brasil. “A medida que se avança na idade, principalmente acima dos 55 anos, a prevalência da hipertensão aumenta progressivamente chegando a mais de 50% da população.  Portanto, todos precisam se conscientizar da grandeza desse problema, procurar um médico, fazer a prevenção e tratamento da doença”.

Dr. Celso também alerta para a importância da adesão ao tratamento. “A adesão ao tratamento é fundamental no controle da doença crônica. Se o paciente não segue adequadamente as orientações do médico, toma a medicação por menos tempo, não se atem aos horários prescritos, entre outras coisas, não vai ter sucesso no tratamento”.

Dúvidas sobre Hipertensão ArterialDr. Celso Amodeo responde a dez dúvidas sobre a doença

- Quem pode desenvolver hipertensão arterial?
R. Qualquer pessoa pode desenvolver hipertensão. É mais comum em pessoas com familiares hipertensos. Mas, aqueles que não têm história familiar de hipertensão, mas apresentam estilo de vida errado (sedentarismo, fumo, bebidas alcoólicas em excesso, obesidade), podem desenvolver a doença.

- Qual a idade mais acometida pela pressão alta?
R. A Hipertensão se inicia por volta da quarta década de vida e sua prevalência vai aumentando progressivamente de acordo com o envelhecimento.

- Homens e mulheres são afetados da mesma maneira pela hipertensão?
R. Até a idade da menopausa a mulher, em geral, tem menos hipertensão que o homem. Após a menopausa a prevalência é igual ou algumas vezes maior no sexo feminino.

- Quais os cuidados um hipertenso deve ter antes de iniciar a prática de exercícios?
R. É importante fazer uma boa avaliação médica para saber seus limites e que tipo de exercícios deve fazer.

- Qual o tratamento para a hipertensão arterial?
R. Mudança do estilo de vida (mais exercícios diários, dieta com pouco sal, não engordar, dormir adequadamente) e medicamentos quando necessários de acordo com a avaliação médica.

- Quando tratada, a hipertensão desaparece e a pessoa volta à sua saúde normal?
R. Hipertensão tratada e controlada coloca o indivíduo na mesma faixa de risco cardiovascular que uma pessoa que nunca teve hipertensão.

- Qual a maior influência para a piora da pressão alta?
R. Sal em excesso, estresse, sedentarismo.

- O que pode acontecer a curto, médio e longo prazo, se a hipertensão não for controlada?
R. Acidente vascular cerebral, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca, arritmisas e insuficiência renal.

- Existe prevenção para hipertensão?
R. Claro, é só ter um estilo de vida adequado desde a infância.

- O tratamento para a hipertensão possui efeitos colaterais?
R. Qualquer medicamento pode produzir efeitos adversos. Depende da sensibilidade do paciente. É preciso um segmento médico para se ter o melhor esquema terapêutico para o paciente.

A hipertensão arterial em números:
·         300 mil pessoas morrem por ano no Brasil em consequência das doenças cardiovasculares. Oitenta porcento desses óbitos tem como causa desses desfechos a hipertensão arterial.
·         Doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte no Brasil e no mundo.
Fontes: Sociedade Brasileira de Hipertensão; Site Eu Sou 12 por 8; AstraZeneca

Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página

Jornal de Saúde informa